5 de out de 2011

Casa Arrumada Carlos Drummond de Andrade

Depois que meu filho nasceu minha casa se tornou o caos, sempre bagunçada, sem tempo algum pra cuidar da casa.
Nunca mais esteve em ordem, sempre muito a fazer.
Quase enlouqueci com isso, principalmente com a cozinha.
Meu filho foi crescendo e bem aos poucos fui conseguindo cuidar mais da casa.
Hoje tenho tempo pra cuidar de tudo mas se o fizer não sobra tempo pra mais nada, nem pra dar atenção ao meu filho,
Decidi não fazer tudo todos os dias pra ter tempo pra mim, meus blogs, estudar um pouco e principalmente estar junto ao meu filho.
Percebi que não faz sentido ocupar todo meu tempo, todos os dias cuidando da casa e deixando nossas relações de lado.
O que antes era frustrante, a casa sempre com muito a fazer hoje virou opção pra dar atenção ao que acredito ser mais importante e gostoso.
Pensei que a casa nessas condições é uma casa com vida, uma criança é muita vida, energia, movimento, ação e é muito bom.
Visitei uma casa linda, toda acabadinha, a decoração detalhada, muitos belos detalhes e bem organizadinho e limpinho, pra mim foi um encanto, um sonho realizado e suspirei: ah como queria isso...
Voltei a esta casa mais algumas vezes, o encanto passou e percebi que ali não havia vida, era tudo tão controlado que não havia fluidez, espontaneidade e vida!
Então gostei ainda mais da minha casa não tão limpa e organizada.
Senti tão claramente toda a vida que existe nela e como gostei disso.
Então recebi de uma amiga, mãe também, este belo e delicioso texto de Drummond.
Deliciem-se!
Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e
uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um
cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os
móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras
e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições
fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,
passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca
ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

Nenhum comentário: