1 de nov de 2011

Em SP, uma mulher é agredida a cada 7 minutos

Mas que triste realidade.
Este é um assunto dificíl de se conversar no dia a dia.
Não se acredita que isto acontece e principalmente com tanta frequencia, ainda há o cúmulo do machismo de dizer que a violência contra a mulher é culpa da mulher.
Só olhando de frente para esta questão com esta claridade dos números é que podemos refletir melhor e claro fazer alguma coisa significativa.
Déborah Gérbera

(O Estado de S. Paulo/iG/Folha.com) A cada dia do mês de setembro, 194 mulheres registraram boletim de ocorrência por lesão corporal no Estado de São Paulo. A cada hora, oito mulheres foram agredidas. Em todo o mês, foram 5.844 casos de violência contra a mulher registrados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) que, pela primeira vez, divulga os números da criminalidade contra as mulheres.
A divulgação atende à Lei Estadual nº 14.545, sancionada pelo governador Geraldo Alckmin em 14 de setembro, que determina a organização de um banco de dados sobre índices de violência contra a mulher. Esse tipo de crime já era contabilizado nas estatísticas mensais divulgadas pela secretaria, mas não era discriminado.
Segundo a SSP, os dados incluem crimes registrados nas 129 Delegacias de Defesa da Mullher e nos Distritos Policiais comuns.

Em setembro, foram registrados seis homicídios dolosos de mulheres em todo o Estado e 16 tentativas de homicídio. No mesmo mês foram 48 estupros, 30 estupros de vulnerável e quatro tentativas de estupro. O Estado registrou ainda 5.844 casos de lesão corporal contra mulheres e 5.769 casos de ameaça. Logo em seguida vêm calúnia, difamação e injúria, com 1.258 casos. Maus-tratos representaram 56 casos e houve ainda 21 invasões de domicílio.
"Quanto mais detalhadas forem as estatísticas, mais saberemos a respeito do que ocorre no Estado. É positivo que possamos saber o tipo de violência que ocorre contra a mulher para podermos atuar de forma mais precisa", afirma a delegada-geral adjunta, Ana Paula Batista Ramalho.
Comparando-se com o total de agressões no Estado, as mulheres representam 37% das vítimas. No geral, são casos que envolvem brigas e disputas domésticas com o marido ou companheiro.
Leia na íntegra:
Uma mulher apanha a cada sete minutos (O Estado de S. Paulo - 26/10/2011) Em setembro, 194 mulheres registraram agressão por dia em SP (iG - 25/10/2011) SP passa a divulgar dados de violência contra a mulher (Folha.com - 25/10/2011)

Via Agência Patrícia Galvão

Nenhum comentário: