8 de jun de 2011

Conselho repudia declarações de Rafinha Bastos CQC sobre estupro

Gostei muito do texto, da matéria, muito bacana o trecho que lembra que a liberdade de um termina onde começa a do outro, o respeito está em extinção, infelizmente, e o desrespeito tem que ser combatido sempre.

Déborah Gérbera

Em comunicado, órgão afirma que a liberdade de expressão tem limites

São Paulo - O Conselho Estadual da Condição Feminina manifesta, via comunicado, seu "repúdio à manifestação em forma de ‘piada’ do humorista Rafinha Bastos" por conta das seguintes declarações: "toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia"; "Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um  crime, e sim uma oportunidade." "Homem que fez isso [estupro] não merece cadeia, merece um abraço", publicadas na Revista Rolling Stones, na edição nº 56, de 06/052011.

Rafinha Bastos: para mulheres feias, "estupro não é crime, e sim oportunidade"

Segundo o Conselho, "a liberdade de expressão, direito previsto constitucionalmente, encontra limite quando em choque com outro direito, que é o da dignidade da pessoa humana, que está acima de qualquer outro.

No caso, estamos a falar da dignidade da mulher, do direito assegurado internacional e nacionalmente de não ter sua imagem estereotipada, bem como ter o direito à escolha de com quem manter relação sexual".

Além disso, a nota diz que "a forma como a mulher foi tratada na mal-dita ‘piada’ induz e reafirma que o estupro não é crime, mas sim um favor, o que não se coaduna com um Estado de Direito Democrático e que ampara e garante os direitos fundamentais de homens e mulheres.

A conduta do humorista revela-se machista e preconceituosa, de conteúdo sexista e depreciativo da figura da mulher, encorajando homens, bem como fazendo parecer que o crime de estupro, hediondo por sua natureza, não seja punível".

Nenhum comentário: