2 de mar de 2011

Gérbera em flor

É um género de plantas herbáceas ornamentais pertencente à família das Asteraceae (ou Compostas), a mesma do girassol e das margaridas, cultivada em grandes quantidades pela sua flor muito apreciada em arranjos ornamentais e como planta decorativa de exteriores nas regiões de clima temperado de ambos os hemisférios.


Em 1737 o naturalista holandês Jan Frederic Gronovius atribuiu o nome Gerbera ao género, em homenagem a Traugott Gerber, um médico e naturalista alemão que trabalhou na Rússia. O nome vulgar gerbera, ou gérbera, é aplicado indistintamente às espécies do género e às suas flores, as quais são em geral comercializadas sob aquela designação, muitas vezes seguida de uma indicação específica ou varietal (por exemplo gerbera-do-transvaal, ou gerbera-púrpura).


O género Gerbera inclui cerca de 30 espécies de plantas herbáceas perenes da família das Compostas, dotadas de folhas basais, e flores reunidas em capítulos solitários e multifloros com cerca de 10 cm de diâmetro, intensamente coloridos. O fruto é um aquénio acicular.


As espécies de Gerbera apresentam um grande capítulo, com floretas bi-labiadas de cor amarelo, laranja, branco, rosa ou vermelho. O capítulo, que aparenta ser uma única flor, é na realidade composto (daí o nome ainda utilizado para a família) por centenas de flores individuais, cuja morfologia varia de acordo com a sua posição no conjunto.


O género Gerbera tem grande interesse comercial, sendo a gerbera a quinta flor de corte mais vendida, só sendo ultrapassada em volume pela rosa, o cravo, o crisântemo e a tulipa.


A espécies deste géneros são também utilizadas como organismo experimental em estudos de floração e de desenvolvimento meristemático da flor. As gerberas contém derivados naturais da cumarina com interesse fitoquímico e de controlo biológico.


As gerberas são muito populares e muito utilizadas como plantas decorativas de exterior e para a produção de flores de corte. Os cultivares mais frequentes são os resultantes da hibridização entre a Gerbera jamesonii e a Gerbera viridifolia, outra espécie sul-africana.


O híbrido é conhecido por Gerbera hybrida e dele existem alguns milhares de cultivares com grande variabilidade nas características florais, com diferentes tamanhos e formas da flor e com cores que vão do branco ao amarelo, laranja, vermelho, rosa e púrpura.


Existem cultivares que produzem flores com o centro negro e com pétalas variegadas.
O género Gerbera ocorre naturalmente na América do Sul, África, Madagáscar e na Ásia tropical. A primeira descrição botânica foi publicada por Joseph Dalton Hooker no Curtis Botanical Magazine de 1889, descrevendo a Gerbera jamesonii, uma espécie sul-africana hoje conhecida por gerbera-do-transvaal ou margarida-do-transvaal.

Família: Compostas
Origem: África do Sul
Porte: Herbácea que atinge cerca de 40 cm de altura
Floração: Floresce o ano todo, mas o auge da floração se dá no fim do inverno e início da primavera
Plantio: Propaga-se por meio de sementes ou divisão de touceiras
Solo ideal: Arenoso, com boa drenagem (mistura recomendada: 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal e 2 partes de areia
Clima: Seco
Luminosidade: Sol pleno.
Regas: Suporta solo mais seco. Pode ser regada, em média, 1 ou 2 vezes por semana, de preferência apenas nos períodos secos, evitando o encharcamento do solo
Adubação ideal: Orgânica ou NPK 4-10-8.
Podas: Para estimular nova brotação, deve-se podar as gérberas rente ao solo, no final da floração. Podas de limpeza para retirar folhas velhas ou mortas também são recomendadas

Uso paisagístico: Pode ser usada em canteiros, como bordadura e até como forração, graças ao seu porte que não chega a ultrapassar 40 cm.

Parente próxima da margarida, a gérbera ficou bem conhecida no Brasil como flor de corte, usada principalmente na composição de arranjos florais. Não é para menos - a oferta de cores é tanta, que oferece um farto material para os artistas florais.

Do branco ao vermelho intenso, as gérberas apresentam-se em cerca de 20 tonalidades diferentes, passando por tons amarelos e alaranjados. Os paisagistas também conhecem suas virtudes e estão aplicando a versatilidade desta planta para dar colorido aos jardins.

O cultivo da gérbera não é muito complicado, mas é preciso ficar atento aos ataques de lagartas e ácaros.


Espécies


  • Gerbera aberdarica
  • Gerbera abyssinica
  • Gerbera ambigua
  • Gerbera anandria
    • Gerbera anandria var. anandria
    • Gerbera anandria var. densiloba
    • Gerbera anandria var. integripetala
    • Gerberia anadria var. bonatiana
  • Gerbera aspleniifolia
  • Gerbera aurantiaca : Margarida-Hilton
  • Gerbera bojeri
  • Gerbera bonatiana
  • Gerbera bracteata
  • Gerbera brevipes
  • Gerbera burchellii
  • Gerbera burmanni
  • Gerbera candollei
  • Gerbera cavaleriei
  • Gerbera chilensis
  • Gerbera cineraria
  • Gerbera connata
  • Gerbera conrathii
  • Gerbera cordata
  • Gerbera coronopifolia
  • Gerbera curvisquama
  • Gerbera delavayi
  • Gerbera discolor
  • Gerbera diversifolia
  • Gerbera elegans
  • Gerbera elliptica
  • Gerbera emirnensis
  • Gerbera ferruginea
  • Gerbera flava
  • Gerbera galpinii
  • Gerbera glandulosa
  • Gerbera henryi
  • Gerbera hieracioides
  • Gerbera hirsuta
  • Gerbera hypochaeridoides
  • Gerbera integralis
  • Gerbera integripetala
  • Gerbera jamesonii : Margarida-de-Barberton,
    Margarida da África ou Margarida-do-
    Transvaal
  • Gerbera knorringiana
  • Gerbera kokanica
  • Gerbera kraussii
  • Gerbera kunzeana
  • Gerbera lacei
  • Gerbera lagascae
  • Gerbera lanuginosa
  • Gerbera lasiopus
  • Gerbera latiligulata
  • Gerbera leandrii
  • Gerbera leiocarpa
  • Gerbera leucothrix
  • Gerbera lijiangensis
  • Gerbera lynchii
  • Gerbera macrocephala
  • Gerbera nepalensis
  • Gerbera nervosa
  • Gerbera nivea
  • Gerbera parva
  • Gerbera peregrina
  • Gerbera perrieri
  • Gerbera petasitifolia
  • Gerbera piloselloides
  • Gerbera plantaginea
  • Gerbera plicata
  • Gerbera podophylla
  • Gerbera pterodonta
  • Gerbera pulvinata
  • Gerbera pumila
  • Gerbera randii
  • Gerbera raphanifolia
  • Gerbera ruficoma
  • Gerbera saxatilis
  • Gerbera semifloscularis
  • Gerbera serotina
  • Gerbera speciosa
  • Gerbera tanantii
  • Gerbera tomentosa
  • Gerbera tuberosa
  • Gerbera uncinata
  • Gerbera viridifolia
  • Gerbera welwitschii
  • Gerbera wrigh






Referências
  • Hansen, Hans V., A taxonomic revision of the genus Gerbera (Compositae, Mutisieae) sections Gerbera, Parva, Piloselloides (in Africa), and Lasiopus, in Opera botanica, 78 (1985) (ISBN 8788702049).
  • Nesom, G. L., Response to "The Gerbera complex (Asteraceae, Mutisieae): to split or not to split" by Liliana Katinas, in Sida, 21 (2004), pp. 941–942.
  • Bremer K., Asteraceae: cladistics and classification, Timber Press: Portland, Oregon, 1994.

Nenhum comentário: